Caixa Tem vai liberar valores de até R$1.000 em 2021; veja como fazer


Está confirmado. A Caixa Econômica Federal vai liberar um empréstimo a partir do mês de março deste ano para cerca de 67 milhões de cidadãos brasileiros por meio do aplicativo Caixa Tem, juntando, assim, com o benefício do auxílio emergencial, Bolsa Família e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

De acordo com Pedro Guimarães, presidente da instituição, a nova função irá liberar um crédito de até R$ R$1.000 para pessoas de baixa renda, com taxa de juros menores que as exigidas no mercado.

O presidente explicou que a maioria das pessoas cadastradas na poupança social digital, movimentada pela plataforma Caixa Tem, são cidadãos que não possuem nenhum vínculo bancário, e afirmou que os serviços disponibilizados pelo aplicativo garantirá de certa forma uma espécie de bancarização da população.

O gestor disse ainda que a inclusão da linha de crédito no app possibilitará que mais brasileiros estejam inseridos, através da solicitação e aprovação do empréstimo, na injeção econômica do país, a fim de melhorar a movimentação de dinheiro durante ao cenário de pandemia.

Caixa Tem

Os pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600 e R$ 300 foram efetuados até 2020 e vão seguir seguir em 2021. Enquanto isso, para suprir a ausência do benefício, o Governo segue planejando ideias para com objetivo de ajudar financeiramente os trabalhadores informais durante a pandemia. O governo busca lançar um novo microcrédito.

A expectativa é que o valor do empréstimo fique entre R$1.500 e R$5.000. Recentemente, o assunto foi tema de conversa entre o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

A gestora de pagamentos do auxílio emergencial, a Caixa Econômica Federal deverá ser a responsável pela liberação do microcrédito. Hoje, o banco disponibiliza R$ 10 bilhões para financiamento da linha de crédito. No entanto, o valor pode subir e alcançar o patamar de R$ 25 bilhões, caso algumas medidas em análise pela equipe econômica sejam feitas.

O decreto que estabelece o estado de calamidade pública no Brasil por conta da pandemia do novo coronavírus seguirá em vigor até 31 de dezembro, mesma data em que o auxílio emergencial chega ao fim. A princípio, o Governo não irá realizar uma nova prorrogação do programa, sob a justificativa de que não possui mais verba suficiente para pagar o benefício.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post